sábado, 21 de abril de 2012

ZICA BRABA!

Bom era os tempos dos caderninhos (acumulei 04 no total), teve 01 azul, teve 02 da coleção zen e teve 01 que eu ganhei numa palestra. Mas um dia eu também me modernizei, mesmo que sem perceber e passei todos os meus textos para um ótimo notebook que comprei por 300 reais, a marca do próprio é Kennex (até então eu nunca tinha visto na vida), ele veio sem bateria e com o canto direito da tela trincado, lembro-me como se fosse hoje, eu indo busca-lo na casa do meu amigo... meu amigo procurando ele na bagunça e tirando-o de uma caixa todo empoeirado dizendo: "ah, eu acho que ele ainda está bom Diego". Materialmente falando, aquele dia foi um dia muito feliz. Há tempos eu queria um desses ou melhor dizendo, um daqueles dos anúncios de informática.

Rapidamente passei tudo o que estava escrito nos caderninhos para o notebook e muitas vezes incluia poesias e derivados sem fazer um outro tipo de cópia. Com o passar dos tempos veio as fotos (me amarro nisso, para ver mais visite o  meu blog TÁS A VER) e a criação de 03 livros de FOTOSIA e mais uma antologia poética que eu nunca publiquei, mas que pretendia ou caso um milagre aconteça, pretendo ainda publicar. Enfim... e sem rodeios, o HD do notebook queimou e o técnico acha difícil recuperar os arquivos, da minha parte, torço para que ele esteja errado!

"É... meu computador
Apagou minha memória
Meus textos da madrugada
Tudo o que eu já salvei
E o tanto que eu vou salvar
Das conversas sem pressa
Das mais bonitas mentiras"

Pra fazer jus a situação, deixo aqui o link da música A Fé Solúvel do grupo O Teatro Mágico, que por sinal é linda!  http://www.youtube.com/watch?v=LhQO1jRmx9E

3 Imundices:

Nara Sales disse...

Ah, os caderninhos... Guardo todos.
Torço para que você consiga recuperar seus sentimentos transcritos.
Abs.

Lisa Alves disse...

Meu primeiro computador foi até humanizado por mim, seu nome era Maurício Molotov. rs

Karina Lerner disse...

assim como tenho meus escritos em alguns lugares diferentes, os tenhos impressos (e registrados) e cópias. e cópias das cópias. uff! nunca é demais, não?

Postar um comentário

Suje a vontade...