terça-feira, 15 de dezembro de 2009

O Novo e o Velho

Sumiram as lábias sábias de um velho sensato
Morreram os sãos e os salvos
Quebraram as correntes de um velho passado
Derrubaram os muros falsos

Morreram os sãos e os salvos,
Eu vi corpos e sonhos
Espalhados pelo asfalto.
Vi o amor não surgir
Mas mesmo assim ser assassinado. Oh Yeah!

Sumiram as lábias sábias de um velho sensato
Morreram os sãos e os salvos
Quebraram as correntes de um velho passado
Derrubaram os muros falsos

Sumiram as lábias sábias de um velho sensato
Amansadas e depois silenciadas,
Reproduzidas e depois transformadas,
Em um inédito futuro do passado
Mais real que abstrato.

Quebraram as correntes de um velho passado
Mas eu continuo acorrentado,
Derrubaram os muros falsos,
Mas meus passos ainda são
Controlados.

Sumiram as lábias sábias de um velho sensato
Morreram os sãos...

4 Imundices:

Mariana Andrade. disse...

sumiu tudo, e ninguém se lembrou de renovar.

Fabiele disse...

'Quebraram as correntes de
um velho passado
Mas eu continuo acorrentado,
Derrubaram os muros falsos,
Mas meus passos ainda são
Controlados.'

Esse é meu parágrafo. e como viver ou fugir
se estou sentindo correntes, como fazer o que quiser se me controlam? Na boa? tô nem aí vou correndo até onde as correntes puderem ir, se me controlarem.. eu dou de ombros! aifnal a vida é minha né?

Erica Vittorazzi disse...

Morreram os sãos. Concordo com você!!!

Natália Corrêa disse...

sumiram as lábias sensatas dos velhos sábios
entre mortos e feridos ninguém se salvou.

Postar um comentário

Suje a vontade...